Você consegue identificar super-heróis em sua empresa?

“Eles tem super poderes e nunca falham. São perfeitos e sempre agem sozinhos. Nunca precisam de ajuda até porque nunca foram ajudados pra serem o que são e para estarem onde estão. Estes são os Super Heróis”

Como você tem encarado os seus méritos?

Vamos lá.

Um dos maiores desejos do ser humano é se sentir importante. Precisamos de reconhecimento: Pelo trabalho que desenvolvemos, pelas atitudes positivas que tomamos, nos diversos  relacionamentos que nos envolvemos.

Buscar reconhecimento é saudável , diria até que fundamental. Não é incomum ouvirmos: não busque o reconhecimento de ninguém a não ser o da sua própria consciência. Será que dá pra viver assim?

Buscar reconhecimento é bem diferente de buscar aprovação constante. Esta última característica sim, quando predomina, poderá levar o indivíduo a tomar atitudes sem sentido e prejudiciais pra si mesmo. Quando acreditamos no trabalho que temos, quando estamos muito envolvidos no desenvolvimento de uma nova habilidade,  queremos ver os nosso mérito, em maior ou menor grau. A nossa parcela de influência em um resultado positivo queremos que esteja  projetada na percepção das pessoas. Até aí tudo bem.

Ocorre que é muito comum, por mais absurdo que pareça, que as pessoas não saibam distinguir com coerência o seu próprio mérito e o reconhecimento que deveriam dar às outras pessoas.

Você conhece ou convive com  pessoas que quando acontecem fatos positivos logo bradam ”Mérito meu” e quando os resultados abaixo do que esperavam surgem logo apontam a “culpa” dos outros envolvidos? Acaba parecendo que estas pessoas são um espécie de “super herói” e que os outros parecem ser os “vilões”: ”sempre ajudam e resolvem enquanto os outros atrapalham”. Apontam responsáveis por vários tipos de falhas com muita facilidade e “precisão” e, ao mesmo tempo mostram-se incapazes de  reconhecer sua parcela de participação negativa  ou pelo o menos das suas omissões relevantes em circunstâncias nas quais não poderiam ter se omitido.

Certa vez um amigo (muito bem sucedido e que aparenta ser um pai e marido extraordinário) me disse :

“Amigo, desconfie de quem diz que chegou em qualquer lugar da vida sozinho, todos nós precisamos do auxílio de outras pessoas, o tempo todo”

Essa frase me marcou muito e pensando, funciona bem assim: mesmo que não percebamos estamos sendo auxiliados em várias circunstâncias. Pense na seguinte frase:

“Nossos méritos individuais são muito mais coletivos do que imaginamos”

Reflita com cuidado: O que você considera que conquistou de relevante na vida até o momento? Pare para pensar nas pessoas que, mesmo com uma palavra, mesmo que por um dia, foram importantes nesta construção? Pensou? Já agradeceu a estas pessoas alguma vez? Deixou claro para elas que você enxerga a importância que elas tiveram?

O que (por hipótese) poderia ter ocorrido caso essas pessoas não tivessem participado da construção do que de bom ocorre hoje na sua vida? Talvez você esteja passando por um momento não tão satisfatório, quem tem se apresentando neste momento para te auxiliar?

É preciso estar atento constantemente. O risco de reconhecermos os nossos próprios méritos cada vez mais (até quando eles não existem no grau que apontamos) é elevado.

Perder  a sensibilidade de enxergar o mérito alheio, tão fundamental e importante quanto o nosso não é saudável e pode acabar afastando pessoas importantes. Fatores como vaidade e orgulho influenciam muito na distorção que podemos ter no momento de analisar os méritos de cada uma das pessoas que fazem parte das nossas vidas.

E você? Reconhece seus méritos de maneira objetiva e realista ou nem tanto assim? Reconhece o mérito das outras pessoas ou deixa quase sempre passar em branco? Quem merece seu reconhecimento?

Pense. Aja. Seja Feliz !

Saiba mais sobre a metodologia Educadoo em nosso site: www.educadoo.com.br

Share This:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*